Residência Arquitetônica 2018

Durante o mês de janeiro, o escritório GPA&A recebeu a estudante Fernanda Freitas para a Residência Arquitetônica, atividade que faz parte do projeto Gustavo Penna 73/23.

O projeto Gustavo Penna 73/23 - 50 anos de Arquitetura, Desenho e Palavra, é uma plataforma de conhecimento e educação que através de concurso de ideias, workshops, livros e exposições, pretende ampliar as discussões e as reflexões sobre a arquitetura no Brasil. O objetivo maior é criar uma rede entre a Academia (alunos, professores e pensadores), os Arquitetos (o fazer diário e os desafios) e a Inovação (quem produz as ferramentas, os materiais e toda a tecnologia para uma construção excelente), aproximando esses três grupos para uma troca de experiências transformadoras. A Residência Arquitetônica é o principal prêmio do concurso de ideias que traz o estudante para dentro do escritório e sob mentoria do arquiteto Gustavo Penna e toda a sua equipe, desenvolve um projeto real.   

Durante 3 semanas, a residente Fernanda participou de várias atividades especialmente programadas para ela: análise do seu projeto, ganhador do concurso, com a professora Rosana Parisi, coordenadora acadêmica e de pesquisa do GP 73/23; apresentação do dia-a-dia do escritório e de alguns cases importantes da GPA&A; visita à Usina de Ouro Branco da Gerdau para conhecer os processos de produção do aço e entender os seus usos na construção civil; e a concepção de um projeto de pórtico, feito de aço, para a entrada da cidade de Ouro Branco.

A residência arquitetônica é a síntese da missão do projeto GP 73/23, pois nela o aluno vive o cotidiano do arquiteto, tem ali, na convivência, a troca de conhecimento entre todos que fazem parte da equipe, participa da interlocução com o cliente, tem contato com os materiais disponíveis e entende todo o processo técnico e criativo do fazer arquitetônico. “É engrandecedor poder participar ativamente de um projeto com a mentoria de profissionais experientes e qualificados. Essa experiência fará de mim uma profissional mais segura e mais ciente dos impactos e processos que envolvem um escritório e um projeto de arquitetura. Além disso, o próprio projeto Gustavo Penna 73/23 me colocou em contato com outras cidades e realidade, possibilitando a ampliação do meu olhar sobre as relações entre arquitetura, urbanismo e outras disciplinas” relata Fernanda.

Bruno Castilho, assessor de relações institucionais da Gerdau, acrescenta “É entusiasmante ver a redescoberta do aço pelos novos talentos. Durante a visita à usina, conseguimos dar aos arquitetos a verdadeira dimensão sobre a versatilidade do aço e suas possibilidades de aplicabilidade para além da construção civil. Acreditamos que a residência arquitetônica e as demais ações do projeto ‘Gustavo Penna 73/23’ serão fundamentais para imprimirmos uma nova percepção sobre o uso desse material em iniciativas inovadoras da arquitetura e do design”.

Todas as ações do projeto Gustavo Penna 73/23 – 50 anos de Arquitetura, Desenho e Palavra podem ser acompanhadas pelo site e pelas redes sociais: facebook /gustavopenna50anos e instagram: @gustavopenna7323.

Para conhecer o projeto do Pórtico acesse aqui.